Nem toda mãe é boa. Nem toda mãe ama o filho.

No post de hoje, quero conversar com você sobre mãe narcisista. A mãe narcisista é uma mulher com um transtorno de personalidade, comumente vista como uma pessoa de personalidade problemática, difícil e complicada. Vaidosa (não no sentido exclusivo do cuidar de si esteticamente), manipula as filhas para que sejam dependentes funcionais, financeiramente e/ou emocionais dela. É uma mulher egocêntrica, que tende a uma certa superficialidade (costuma ser pouco consistente e guiada pelo prazer, abandonando projetos ou trabalhos quando exigem um pouco mais de esforço!), que não tem empatia, visto que só as suas necessidades são importantes, e tudo o que faz é em benefício próprio. A mãe narcisista é emocionalmente imatura, vazia dela mesma, e busca ter filhos para preencher esse vazio (como se ter filhos fosse resolver os problemas!). É uma mãe que aparece, faz o seu show, constrói sua autoimagem de mãe incrível, dá presentes às filhas, leva-as à Disney, mas, vira e mexe, perde o interesse nas filhas, que são apenas peças no tabuleiro da vaidade dela – e “desaparece”. É muito manipuladora (repito isso, pois é um traço extremamente marcante!), abusiva, e destrói emocionalmente as suas filhas com críticas (ao corpo, ao desempenho...), deixando sequelas indeléveis na autoestima destas, que se tornam codependentes dela, e crescerão buscando o seu amor a todo tempo.

Normalmente, por se sentir vazia e por não ter batalhado na vida para se realizar, projeta nas filhas a realização dos seus sonhos, e tomam os sucessos e as glórias destas como se fossem seus (por exemplo, podem exigir que as filhas sejam ‘a número 1’ da sala, exerçam a profissão que ela quis, mas não pôde ou não teve capacidade...), enfim, não respeita os desejos, quereres e vontades das filhas. É tida como ‘fria’, não faz carinho, parece mais ter ódio das filhas, que, normalmente, não se recordam de terem ouvido nem um “eu te amo” de suas mães. Não aceitam outro ponto de vista que não o dela, tem oscilação de humor com qualquer contrariedade, e, em retaliação, pode ficar sem falar com quem se atreveu a ter um posicionamento diferente do dela, e isso inclui ficar sem falar com as próprias filhas, como se fossem crianças da mesma idade. A mãe narcisista critica e constrange as filhas, mesmo que na frente de outras pessoas, e diz coisas do tipo: “eu não queria ter você”, “por mim, eu tinha abortado você”, e por aí vai.

Há mães narcisistas que assumem características tirânicas e têm o prazer em causar discórdias, mesmo que tratem muito bem os outros que estejam fora do contexto familiar, como as mães dos amiguinhos das filhas. A mãe narcisista costuma escolher uma pessoa para alvo, e constrange essa pessoa, espezinhando-a até onde não conseguir mais (o marido, normalmente, fica nesse lugar!). Vai estar brigando raivosamente o tempo todo, se faz de vítima, como se o mundo tivesse um débito com ela. O que ela busca com isso é o controle.

É como se ela se alimentasse do caos para viver, sugando a energia de todos, e exaurindo todos, conseguindo, ao final, o que muito teme: o abandono. Mas fazendo de pelo menos uma filha codependente dela, isso garantiria, na fantasia dessa mãe, que ela não seria abandonada, e que seria sempre cuidada. Sendo assim, é natural para a mãe narcisista que ela sempre negue amor às filhas.

As mães narcisistas costumam odiar críticas, agem logo na defensiva. Se você sinalizar que algo não vai bem na conduta delas, elas se fecham em copas, acham que não há nada de errado e que não precisam de ajuda. Elas vão usar o título delas de mãe para oprimir e manipular as filhas (sim, estou falando o tempo todo em “filhas”, pois são as filhas mulheres que mais vão sofrer com isso). As mães narcisistas competem com as suas filhas, e isso fica mais evidente quando a filha atinge a adolescência, quando está na “flor da idade”, e a mãe se vê envelhecendo (as mães narcisistas têm dificuldades com o envelhecimento, costumam não assumir a idade, ou mesmo revelam ter idade abaixo da que verdadeiramente têm).

Se tem mais de uma filha, normalmente, há um escolhida que terá tudo, e será intitulada como “a filha perfeita”. Mas essa criança sofre também, já que ela não tem vontade própria, e tenderá a funcionar na família apenas como uma extensão da mãe, fazendo de tudo para agradá-la.

Aí você me pergunta: e o pai, onde está que não toma partido? Normalmente, ele também é manipulado pelas mentiras dessa mãe, e ele se omite. Perante aos filhos, a mãe narcisista tende a colocá-lo como vilão, falando impropérios acerca do pai diretamente para a criança ou para outros, mas com a intenção de que a criança escute. Lembre-se: a mãe narcisista não aprendeu a amar, é ciumenta, rancorosa, não aceita perder, e quer punir quem está com ela. Faz de tudo para ser temida e obedecida, para que todos ao seu redor atendam aos seus caprichos. Lembre-se: ela tem sede de controle e poder! Lamentável, pois, no fundo, é infeliz e faz todos ao seu redor serem infelizes também.

Se você tem uma mãe narcisista, o ideal é que você consiga dar limites a essa mãe, e se afaste emocionalmente dela. E, o quanto antes, dê início à terapia, para recuperar a sua autoestima, o seu senso de merecimento, a sua segurança e a sua individuação.

0 visualização0 comentário
  • Instagram

Atendimento

Presencial

 

Av. Anita Garibaldi, 1477, Sala 107

Centro Médico Alexander Fleming

Garibaldi, Salvador|BA

Atendimento

Online

 

Para você que é de outro estado, disponibilizo um canal online seguro para atendimentos à distância.

*Psicóloga autorizada pelo Conselho Regional de Psicologia

Izabelle

Nossa

 

71 99939 5356

falecom@izabellenossa.com.br

Vamos conversar?

© 2020 por Aflora Design